Páginas de Menu
Categorias menu

Brasão

BRASÃO EPISCOPAL DE DOM JOSÉ FRANCISCO FALCÃO DE BARROS

In oboedientia Veritatis (1Pd 1, 22)

 

brasao-dom-falcao1) Forma do Escudo: Samnítico (“escudo inglês”).

2) Cor do Escudo (Pleno): Azul (blau), na heráldica, simboliza zelo, fidelidade e amor. A cor denota as virtudes que devem marcar o ministério do Bispo obediente à Verdade: zelo pelas coisas santas, a exemplo de Jesus (O zelo por tua casa me devora [Jo 2, 17; cf. Sl 68, 10]); fidelidade ao Depósito, a exemplo do Senhor, fiel e Sumo Sacerdote naquilo que é de Deus (Hb 2, 17); amor aos homens, a exemplo do Mestre que, tendo amado os seus que estavam no mundo, até o extremo os amou (Jo 13, 1).

3) Ao centro, uma cruz latina florenciada prateada. Evoca o núcleo e o fundamento da espiritualidade do Bispo obediente à Verdade: Jesus Cristo, obediente até a morte e morte de cruz (Fl 2, 8). Ele, embora fosse Filho de Deus, aprendeu a obediência, por aquilo que padeceu.  E, sendo ele consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os que lhe obedecem (Hb 5, 8-9). Na heráldica, a cor prateada significa pureza, integridade e firmeza. De fato, o anúncio de Cristo crucificado (1Cor 1, 23) deve ser puro na intenção, pois a sabedoria que vem do alto é primeiramente pura (Tg 3, 17); íntegro no conteúdo, pois a pregação cristã deve proclamar a Verdade plena (Jo 16, 12); e firme na execução, pois as Escrituras exigem que os arautos da Boa Nova sejam alicerçados e firmes na fé (Cl 1, 23).

4) No quadrante inferior direito da cruz, uma estrela dourada de dez pontas. Simboliza a Bíblia Sagrada, uma das fontes da fé católica: Vossa palavra é um facho que ilumina meus passos, uma luz em meu caminho (Sl 118, 105). Essa Palavra, a quem o Bispo deve obediência, é a Verdade: A tua palavra é a Verdade (Jo 17, 17). E ainda: Quem pratica a Verdade vem para a luz (Jo 3, 21). A cor dourada simboliza a riqueza da Bíblia, tesouro de onde a Igreja tira coisas novas e velhas (Mt 13, 52). As dez pontas evocam os dez mandamentos, contidos na Bíblia, cuja observância Jesus ordenou: Se queres entrar na vida, observa os mandamentos (Mt 19, 17).

5) No quadrante inferior esquerdo da cruz, a flor-de-lis dourada, símbolo da Virgem Maria, que foi obediente à Palavra: Faça-se em mim segundo a tua Palavra (Lc 1, 38). Na hora suprema do Senhor no calvário, ela estava junto à cruz de Jesus (cf. Jo 19, 25). Essa alusão à Virgem Pura traduz a grande devoção que o Eleito sempre teve por Nossa Senhora das Graças, padroeira de Paulo Jacinto (AL), sua cidade natal. E manifesta também um propósito: colocar-se sob sua proteção e invocar a sua poderosa intercessão até o fim dos dias. A cor de ouro evoca a nobreza da Mãe de Deus, Rainha ornada de ouro de Ofir (Sl 44, 10).

6) Circundando a cruz, doze estrelas douradas de oito pontas, símbolo da Igreja: Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas (Ap 12, 1). A estrela do ponto mais alto do círculo, que simboliza o Apóstolo Pedro, aparece um pouco maior que as demais, que simbolizam os demais Apóstolos. A Igreja do Deus vivo, coluna e sustentáculo da Verdade (1Tm 3, 15), fundada sobre os Apóstolos, continuamente construída sobre o fundamento dos Apóstolos (Ef 2,20), na qual se conserva e se transmite, com a ajuda do Espírito Santo, o ensinamento e o depósito precioso, continua a ser ensinada, santificada e dirigida pelos Apóstolos até a volta de Cristo, graças aos que a eles sucedem na missão pastoral: o Colégio dos Bispos, do qual o Eleito é membro, em união com o Sucessor de Pedro, pastor supremo da Igreja. A cor dourada significa a bela e eterna riqueza da Igreja: Jesus Cristo que, sendo rico, fez-se pobre por vós, para vos enriquecer com a sua pobreza (2Cor 8, 9). O número de pontas de cada estrela (oito) evoca o sacramento do Batismo, através do qual pertencemos à Católica Mãe Igreja: Apenas oito se salvaram através da água. Esta água prefigurava o batismo de agora, que vos salva também a vós (1Pd 3, 20-21).

7) Nas quatro extremidades do escudo (superior direita, superior esquerda, inferior direita e inferior esquerda), línguas de fogo (At 2, 3), símbolo do Espírito Santo. De fato, o Espírito é a Verdade (1Jo 5, 6), a quem o Bispo deve obedecer. Esse Espírito de Verdade (Jo 14, 17; 15, 26; 16, 13) está presente e age nos quatro cantos da terra: Assim diz o Senhor Deus: Vem dos quatro ventos, ó Espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam (Ez 37, 9).

8) Ornamentos: Chapéu prelatício, com forro em goles, duas séries de seis borlas, pendentes dos flancos do escudo, tudo em sinople.

9) Timbre: Cruz prelatícia trifoliada em ouro, com pedras vermelhas nas três extremidades e no centro da cruz.

10)  Listel: Em ouro com reverso em goles, contendo o Lema, em latim, tirado de 1Pd 1, 22: In oboedientia Veritatis (Pela obediência à Verdade).